Pesquisar

Redes sociais


Representantes dos trabalhadores catarinenses definem pauta para reajuste do Piso Salarial Estadual em 2023
18/11/2022
O DIEESE-SC reuniu representantes das Centrais Sindicais e Federações de Trabalhadores, nesta quarta, 16, para Assembleia Geral, debate sobre o Piso Salarial e lançamento de livros No dia 16 de novembro de 2022 o DIEESE-SC realizou encontro com representantes das Centrais Sindicais e Federações de Trabalhadores para, entre outras demandas, definir a reivindicação que será apresentada aos empresários para o reajuste do Piso Salarial Estadual.  À exemplo dos anos anteriores, foi definido que a coordenação das negociações por parte dos trabalhadores será do coordenador sindical do DIEESE-SC Ivo Castanheira. Ele defendeu, e foi aprovado por unanimidade, que a reivindicação para 2023 continue sendo da recuperação do Piso pelo INPC, mais aumento real. “Estamos retomando a possibilidade de valorização do salário mínimo no Brasil e, em Santa Catarina, nossa luta continuará sendo pelo aumento real no nosso Piso”, afirmou Castanheira. Foi delegada ao coordenador a tarefa de fazer contato com a FIESC para marcar a data da entrega da pauta, assinada pelos representantes das Centrais e Federações dos Trabalhadores ainda durante a reunião. O encontro iniciou com a realização da Assembleia Geral do DIEESE-SC, na parte da manhã, quando foi aprovada a previsão orçamentária e realizada a eleição de 1/3 da diretoria estadual do Departamento, além do coordenador e secretário geral para o próximo período. Na coordenação sindical permaneceu o diretor da FECESC Ivo Castanheira e na secretaria geral Jorge Luiz Putsch, do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque. Para compor a diretoria foi eleito ainda o presidente da Federação dos Trabalhadores No Serviço Público Municipal do Estado de SC (Fetramesc) Orlando Soares Filho.     Coleção Greve e Negociação Coletiva No período da tarde, após os debates em torno da negociação do reajuste do Piso Salarial Estadual em 2023, foi realizado o lançamento da Coleção Greve e Negociação Coletiva, com a presença do autor Carlindo Rodrigues de Oliveira. Economista e mestre em Ciência Política pela UFMG, Carlindo é professor da Escola DIEESE de Ciências do Trabalho e os dois volumes da Coleção lançada apresentam sua tese defendida no doutorado em Ciências Sociais na Unicamp.  De acordo com o autor, os dois volumes apresentam uma reflexão sobre duas das mais importantes dimensões da atividade sindical. No primeiro volume, “Greve e Negociação Coletiva:  dimensões complementares da luta sindical”, ele resgata os principais debates no Brasil em torno do tema e traz os principais autores brasileiros que produziram em torno do tema greves e negociações como “confronto e conciliação” e argumenta que “não há uma relação antitética entre greve e negociação coletiva no seio das estratégias sindicais, senão uma relação de complementaridade dialética entre essas duas dimensões da luta dos/as trabalhadores/as, embora possa haver diferença de ênfases, conforme os diferentes contextos históricos...
Piso Salarial: Uma história de luta documentada em livro
14/07/2022
Publicação do DIEESE-SC conta como os trabalhadores catarinenses conquistaram o  Piso Salarial Estadual   O lançamento do livro PISO SALARIAL DE SANTA CATARINA – Uma luta para não esquecer nesta quarta, 13 de julho, reuniu representantes das Centrais Sindicais, Federações e Sindicatos, refletindo a construção da história deste salário regional em nosso estado: uma história coletiva, escrita pelos trabalhadores catarinenses. A publicação foi uma iniciativa do DIEESE-SC e se tornou possível com a participação financeira de 109 entidades de trabalhadores. Como lembrou o coordenador sindical do DIEESE-SC, “Somos o único estado do país que reúne anualmente representantes dos trabalhadores e empresários para um processo de negociação para o reajuste do Piso. O objetivo do livro vai além de contar essa história, também servirá para levá-la para os outros estados e semear este exemplo”. A mesa do lançamento foi coordenada por Ivo Castanheira e contou com a deputada estadual Luciane Carminatti (PT), a diretora do DIEESE-SC e da FETESSESC (Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de SC) Tatiane de Castro e do jornalista Sérgio Luiz Homrich dos Santos, um dos autores do livro. A deputada Carminatti lembrou da grande mobilização realizada entre os anos 2006 e 2009, que resultaram num abaixo assinado com milhares de assinaturas para o Projeto de Lei Popular que reivindicava o Piso para Santa Catarina. Também parabenizou os representantes dos trabalhadores pela negociação realizada todos os anos e que culmina na apresentação do Projeto para reajuste do Piso que já chega na Assembleia formatado para a aprovação da Lei. “Sabemos como é um processo difícil, mas temos esta Lei garantida pela luta, sem uma Lei seria ainda mais difícil”, sublinhou a deputada. A dirigente sindical Tatiane de Castro comemorou a publicação e afirmou que o livro se constitui em instrumento de trabalho para os sindicalistas: “Quando formos questionados sobre o que o Sindicato faz para os trabalhadores, vamos mostrar essa conquista tão fundamental, que é uma das coisas pelas quais lutamos todos os dias”, afirmou. Sérgio Homrich, que escreveu o livro juntamente com a jornalista Maria Helena de Moraes, com editoração da jornalista Sandra Werle, apresentou aos presentes um pouco do conteúdo do livro.  Sérgio acompanhou, através de seu trabalho de assessoria, desde os primeiros debates em torno da necessidade de aprovar um Piso regional para Santa Catarina, guardando consigo valiosos arquivos dessa história. Ele lembrou da importante participação do escritório regional do DIEESE-SC nesse processo, na viabilização da Lei e nas negociações todos os anos. O jornalista destacou a unidade de todo o movimento dos trabalhadores em torno do Piso, que assegura remuneração acima do salário mínimo a milhares de trabalhadores. A afirmação foi confirmada pelo supervisor técnico do DIEESE-SC,...
PISO SALARIAL DE SANTA CATARINA – Uma luta para não esquecer
11/07/2022
DIEESE-SC lança livro com a história do Piso Salarial Estadual nesta quarta, dia 13 de julho O DIEESE-SC Escritório Regional Santa Catarina está lançando o livro PISO SALARIAL DE SANTA CATARINA – Uma luta para não esquecer, que conta a história desta conquista, que certamente se constitui numa vitória da mobilização social, em particular das organizações da classe trabalhadora catarinense. O evento será realizado nesta quarta-feira, 13/07, a partir das 14h, no auditório térreo da FECESC (Av. Mauro Ramos, 1624, Centro, Florianópolis). A edição foi coordenada pelo Coordenador Sindical do DIEESE-SC Ivo Castanheira e pelo Supervisor Técnico José Álvaro Cardoso e é de autoria dos jornalistas Maria Helena de Moraes e Sérgio Luiz Homrich dos Santos, da Informa Editora. Sua produção se tornou possível com a contribuição de mais de 100 entidades, entre Centrais Sindicais, Federações e Sindicatos de trabalhadores, todos ligados à luta pela conquista do Piso Salarial em nosso Estado. A obra é um resgate histórico do movimento da classe trabalhadora pela instituição do Piso e, depois, das negociações realizadas a cada ano para seu reajuste. Atualmente, cinco estados brasileiros possuem Piso regional: São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Mas somente a Lei catarinense define que a atualização anual de seus valores seja resultado de negociação entre representantes dos trabalhadores e dos empresários.   Serviço: O quê: Lançamento do livro PISO SALARIAL DE SANTA CATARINA – Uma luta para não esquecer Quando: 13/07/2022, a partir das 14h Aonde: Auditório térreo da FECESC (Av. Mauro Ramos, 1624, Centro, Florianópolis) Quem: DIEESE-SC Escritório Regional, Centrais Sindicais, Federações e Sindicatos de trabalhadores...
Informativo do Piso Salarial Estadual 2022
09/03/2022
FAÇA AQUI o download do arquivo em PDF.   A Lei Complementar Nº 797 de 14 de fevereiro de 2022 oficializou o reajuste do Piso Salarial Estadual para este ano. Veja o Informativo com os valores das 4 faixas salariais e, também, o histórico dos reajustes, desde a criação do piso regional, em 2010, no Informativo publicado pelo DIEESE-SC, Centrais e...
A importância da negociação dos pisos em Santa Catarina e a votação na ALESC em 2022
28/02/2022
Por: Ivo Castanheira – Coordenador Sindical, em nome da Diretoria do DIEESE em Santa Catarina  No dia 16/02 foi aprovado o Projeto de Lei Complementar (PLC) 2/2022, que reajustou os Pisos Salariais de Santa Catarina em 10,5% a partir de janeiro último. O trâmite do PL é bastante complexo: passou por três comissões, a de Constituição e Justiça, a de Finanças, e a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público. Foi um processo difícil, acompanhado o tempo todo pelos representantes das centrais sindicais e do DIEESE. A aprovação, em dois turnos, ocorreu com 22 votos a favor e um voto contrário nos dois turnos e duas abstenções no primeiro turno de votação. A implantação dos pisos em Santa Catarina, a partir de janeiro de 2010, é, possivelmente, a mobilização mais significativa da história do movimento sindical catarinense. Existem pisos salarias em apenas cinco estados do Brasil e Santa Catarina é o único estado onde, de fato, ocorre mobilização dos sindicatos todos os anos e uma negociação para valer, de alto nível, entre patrões e empregados. Os governos, nos 12 anos de negociação dos pisos, se limitaram democraticamente a acatar a decisão das partes e encaminhar o projeto para o Poder Legislativo. Quando os pisos foram implantados, há mais de uma década, a conquista dos trabalhadores já era muito importante. Porém, ao longo dos últimos anos, em função da perda de direitos e salários reais da classe trabalhadora brasileira, a conquista dos pisos se tornou ainda mais relevante. Como em Santa Catarina os pisos realmente são praticados, em função da mobilização dos sindicatos, eles evitam que os salários reais sofram quedas muito significativas, como vem ocorrendo nos últimos anos ao nível do país. Os pisos são fundamentais porque, como os salários em regra são muito baixos no país, os pisos garantem uma renda mínima para a classe, inclusive, um pouco acima do salário-mínimo nacional. Além dos pisos serem um impeditivo de os salários caírem ainda mais, sua negociação logo no início do ano serve como referência para as demais negociações, que se sucedem nas datas bases subsequentes. Os pisos são essenciais também para incrementar o mercado consumidor interno, em função da capilaridade e da abrangência que os mesmos possuem. Por ocasião da implantação dos pisos, em 2010, a avalição do DIEESE foi a de que os mesmos melhoraram a renda de cerca de 1 milhão de catarinenses, parcela expressiva da força de trabalho e da própria população. Nas últimas negociações os pisos se tornaram também uma proteção dos trabalhadores em relação aos aumentos abusivos dos alimentos básicos. O salário mínimo necessário, calculado pelo DIEESE atingiu recentemente a marca dos R$ 5.969,17, o que corresponde a 5,42 vezes o piso nacional....

Siga-nos

Sindicatos filiados